Jaú



Jaú (Paulicea luetkeni)
Distribuição Geográfica: Bacias amazônica, Araguaia-Tocantins, São Francisco, Prata e em algumas bacias do Atlântico Sul. Amplamente distribuído na América do Sul, mas provavelmente existe mais de uma espécie recebendo este nome.
Descrição: Peixe de couro; grande porte, pode alcançar mais de 1,5m de comprimento total e 120kg. O corpo é grosso e curto; a cabeça grande e achatada. A coloração varia do pardo esverdeado claro a escuro no dorso, mas o ventre é branco; indivíduos jovens apresentam pintas claras espalhadas pelo dorso.
Ecologia: Espécie piscívora. Vive no canal do rio, principalmente nos poços das cachoeiras, para onde vai no período de água baixa acompanhando os cardumes de Characidae (especialmente curimbatá) que migram rio acima. Na Amazônia não é importante comercialmente, a carne é considerada “remosa”, mas é apreciado no Sudeste do Brasil. A pressão de pesca pelos frigoríficos que exportam filé de jaú é muito grande e tem sido responsável pela queda da captura da espécie na Amazônia.
Equipamentos: Varas de ação pesada; linhas de 30 a 50 lb.; anzóis encastoados n° 10/0 a 14/0. Deve-se usar chumbo tipo oliva, com peso de 300 a 1.000g, dependendo da profundidade e força da água.
Iscas: Somente iscas naturais, como pequenos peixes de escama, tuvira, muçum e, também, minhocuçu.
Dicas: Esta espécie é capturada nos poços logo abaixo das corredeiras, principalmente à noite. É muito importante que a isca fique no fundo. Para uma fisgada mais eficiente, não tenha pressa, espere o peixe  tomar um pouco de linha e quando sentir o peso, dê aquela puxada. 



Tags: Peixe, pescaria, água doce, dicas, jaú, paulicea luetkeni.

0 comentários:

Postar um comentário

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites